Meus Cães – Parte V

By | November 21, 2007

Atenção: Este é um post estilo “querido diário”. Continuação deste outro post.

Desta vez foi muito mais fácil conseguir meu cachorro. A esposa até tentou me convencer ao contrário mas ela já sabia que era uma batalha perdida.

O ano era 2004 e a Internet me facilitou ainda mais a vida. Pesquisei a fundo várias raças e acabei com uma listinha de 4: Pastor Alemão, Cane Corso, Mastim Napolitano e Rottweiler.

Eliminei o Cane Corso porquê não gostei de nenhum site de criador aqui no Brasil. Isso me deu a impressão que não existe muito cuidado com a raça por lá.

Depois eliminei o Mastim Napolitano pois além de ser enorme, dificultanto transporte e acomodação no dia-a-dia eu ainda descobri que o bichinho pode comer até 1Kg de ração super-premium por dia. Dêem uma olhada no preço de ProPlan ou Eukanuba ai no Brasil e vão entender porque eu desisti.

Fiquei então entre Pastor Alemão e Rottweiler. Mas minha experiência com os pêlos do Pastor e minha esposa que tem rinite me fizeram escolher o Rottweiler.

Com a raça escolhida comecei a pesquisar mais a fundo o que esperar dela, temperamento, nível de ruido, adestrabilidade, doenças comuns, etc. Descobri também clube de criadores, associações e afins.

Fiquei encantado com a raça e com o trabalho de boa qualidade que a APRO andava fazendo. Agora era só começar a procurar uma ninhada que eu pudesse pegar o filhote em Dezembro de 2004.

Lógico que quando disse pra esposa que iríamos ter um Rottweiler ela deu uma discreta torcida de nariz e me lembrou de todo o cocô que eu teria que recolher, porquê o “cachorro é seu”.

Mas a reação mais engraçada foi a do meu pai. Quando comentei da minha decisão ele arregalou os olhos e ficou um pouco pálido. Falou: FILHO! Pelarmor! Essa raça é uma fera! Pega um Pastor Alemão!

Foi difícil segurar o riso, pois anos atrás o Pastor Alemão que era o assassino. huahuahuahua…

De qualquer forma a minha busca resultou num anúncio em um site que eu liguei e descobri que a ninhada estava pra nascer em poucos dias. Já marquei de ir ver os filhotes 2 semanas depois.

Lógico que filhotes com menos de 15 dias não são muito interativos e se preocupam só em dormir e manter os olhos fechados, mas pelo menos conheci o pai e a mãe da ninhada e vi a documentação deles.  Já até deixei pago metade do valor e combinei de escolher e buscar o filhote quando a ninhada tivesse 45 dias.

Neste meio tempo eu tinha decidido que ia adestrar meu novo filhote e na época o Orkut, que ainda não tinha virado uma favela virtual, tinha uma comunidade muito legal chamada “Dicas de Adestramento” onde o dono era um adestrador chamado Tomás Szpigel. Ele dava diversas dicas, explicava alguns conceitos e respondia dúvidas do pessoal.

Em uma das mensagens eu li a indicação do livro “Adestramento Inteligente” e adquiri no mesmo dia via internet. Quando ele chegou devorei o livro em 2 dias.

Conceitos totalmente novos sobre adestramento e comportamento canino foram apresentados, bem como explicações que me fizeram entender erros do passado. Tudo de um ponto de vista inteligente e científico.

Continuei frequentando a comunidade no Orkut, até quando o Tomás, cansado das limitações e problemas do Orkut, anunciou a criação de um fórum de discussão sobre adestramento.

Surgiu assim o AdestradorOnline, do qual até hoje sou membro  e onde conheci mais um monte de gente viciada em cachorro igual eu. Fiz muitos amigos lá. Hoje sou orgulhosamente um dos administradores do site, além de hospedá-lo nos últimos 2 anos.

Ainda na fase de preparativos pro filhote mandei fazer um canil na casa especialmente pro novo hóspede.

Com o dia chegando perto comecei a pesquisar e perguntar no AdestradorOnline sobre métodos de escolher filhote e preparei minha listinha de testes que ia fazer na ninhada pra escolher com quem ia ficar.

Até que finalmente chegou o dia e lá fomos a esposa e eu escolher o filhote.

CONTINUA NO PRÓXIMOS POST

No tag for this post.