8 anos canadense

By | September 26, 2020

Na semana passada a esposa e eu completamos 8 anos como cidadãos canadenses. Não acho que poderíamos ter tomado uma decisão melhor tantos anos atrás.

Nós mudamos para o Canadá em 2007 já resolvidos antes de sair do Brasil que era uma mudança definitiva. A última vez que eu tinha visitado o Canadá eu ainda era criança e a esposa nunca tinha estado aqui, mas graças à Internet – mesmo nos idos anos 00 – foi possível fazer uma boa pesquisa e concluir que era o destino correto.

Entre as opções iniciais consideramos também Austrália e Suíça mas ambas se mostraram complexas para nosso caso por um motivo ou outro. O processo de conseguir o visto de residente permanente no Canadá naquela época não era exatamente simples, mas era mais fácil do que os outros.

Escolher onde no Canadá foi um pouco mais complicado. Todo imigrante quer ir para os mesmos destinos: Toronto, Vancouver, Winnipeg, Montreal. Nós, por outro lado, decidimos que a melhor estratégia seria ir para um lugar com poucos imigrantes e menos brasileiros ainda.

Um grande erro que eu vejo algumas pessoas cometendo é chegar num país novo e imediatamente sair procurando outros brasileiros, comida brasileira, coisas brasileiras. Ora, por que saiu do Brasil então?

Nossa escolha foi Halifax, Nova Scotia. Um lugar que a maioria do Brasileiros nunca nem ouviu falar. Foi excelente. Na época que chegamos lá a maioria absoluta da população era canadense da gema. E os poucos imigrantes eram escoceses, irlandeses e ingleses. Ou seja: Nem conta como imigrante né?

Imigrantes naquela época eram tão raros que nosso sotaque imediatamente despertava curiosidade das pessoas, perguntando de onde a gente era e o que estávamos fazendo em Halifax. Não de forma agressiva – que fique claro – mas genuinamente curiosos. Imagino que pensavam: Halifax?? Com tanto lugar melhor no Canadá? Mas estou desviando o assunto.

Desnecessário dizer que amamos Halifax, o povo e a cultura. Fizemos algumas amizades com os canadenses da gema, pegamos gosto pela comida e facilmente nos identificamos muito mais como canadenses do que brasileiros, apesar do sotaque que até hoje nos entrega.

Uma vez que você fica aqui no Canadá como residente permanente por 5 anos é possível aplicar para cidadania e não pensamos duas vezes. Amamos esse país e temos uma imensa dívida de gratidão pelo como fomos recebidos e pela excelente vida que o Canadá nos proporciona. Foi uma honra jurar fidelidade à rainha durante a cerimônia de cidadania.

O quanto a gente mudou nesses anos todos na cultura canadense fica claro quando converso com família e amigos no Brasil. As nossas preocupações, senso de humor, expectativas e prioridades são muito diferentes.

Mas uma coisa aconteceu na semana passada que só depois eu pensei o quanto isso reflete como vivemos agora:

Por motivos que não pertencem a esse post, na semana passada eu fui me encontrar com um grupo para ver como eles treinam os cachorros em uma coisa específica. O encontro foi numa fazenda que deu permissão para usar o terreno deles.

Paramos os carros no acostamento da estrada (uns 8 veículos) e como todo mundo tinha cachorro as janelas, portas e traseiras dos carros ficaram abertas. Todos os cachorros dentro de caixas de transporte. Ninguém solto dentro do carro. E lógico, as chaves nos contatos.

E aí saímos todos, alguns com cachorros, outros só acompanhando, e nos enfiamos na fazenda. Totalmente fora do campo de visão dos carros, talvez quase 1Km de distância. E ficamos lá 2 horas pelo menos.

Como estamos no Canadá ninguém em nenhum momento sequer pensou: Huh… talvez alguém deva ficar cuidando dos carros. Ou talvez as chaves não devam ficar no contato. Ou a gente devia trancar os carros.

Mas o melhor de tudo foi que eu – que sempre fui totalmente paranoico no Brasil – também não pensei em nada disso.

Fiquei orgulhoso de mim mesmo mais tarde no dia quando caiu a ficha do que eu tinha feito. Não acho que tem uma melhor prova que virei Canadense.

Sei que outros imigrantes brasileiros morando no Canadá seguem esse blog. Fica aqui minha recomendação: Mergulhe de cabeça na cultura canadense, distancie-se de outros brasileiros e adote essa nação com todo o coração. Mentiram para você naquele trecho “dos filhos desse solo és mãe gentil”. A nação que te adotou de braços abertos é quem merece a sua fidelidade.

No tag for this post.

2 thoughts on “8 anos canadense

  1. Everton

    Estou há 3 anos no UK, e apesar de não ser tão tranquilo aqui em Londres quanto por aih a diferença com o Brasil eh gritante, e voltar pro Brasil eh sempre um susto.

    Grande abraço!

  2. E. Coelho

    Quando eu visito o Canadá uma das coisas que mais me chama a atenção, em 99,9% dos locais, é a tranquilidade para andar de carro, ou a pé, sem medo. Sinto-me leve e livre. Eri, realmente, a sua escolha foi maravilhosa.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comments will be closed on November 1, 2020.