Lógico… a culpa tinha que ser do gordinho

By | May 16, 2008

Meu… não é possível. Eu, sendo gordo desde a infância, sei que gordo sempre é referência: “ali do lado do gordinho”. Sempre é motivo de piada: “Ai o gordinho…”. E às vezes é até vítima do imensamente irritante politicamente correto: “Eu tenho um amigo que é assim… hã… forte… igual você”.

Quem não lembra dos filmes americanos onde sempre tem um gordinho babaca? Normalmente meio babão?

E quem, na sua época de infância, não tirava sarro dos gordinhos da escola ou algo assim? Podem falar, não fico bravo não. Fui muito zoado quando era pivete.

Tudo isso é normal e quem é gordinho sabe que se bobear leva a culpa de tudo que acontece.

Mas agora passou dos limites. Dêem uma olhada nesta reportagem aqui.

Vou colocar um pedaço para ilustrar:

… Segundo o estudo, eles [os gordinhos] precisam de 1.680 calorias … – um quinto a mais do que o normal…
A maior demanda por comida faz aumentar a produção, que por sua vez requer mais petróleo para equipamentos agrícolas e meios de transporte….
… a demanda crescente por combustíveis acarreta no aumento do preço, que acaba sendo repassado para a comida.
Além disso, dizem os especialistas, as pessoas obesas preferem usar transportes motorizados a andar a pé, aumentando a demanda por combustíveis e, por conseqüência, a poluição do meio ambiente…

Peço a gentileza do meu cunhado comentar aqui se isso não parece uma daquelas lógicas do tipo:

Deus é amor.
O amor é cego.
Steve Wonder é cego.
Então Steve Wonder é Deus.

Eu me responsabilizo pelos meus atos, mas não vem colocar a culpa da fome na África e do aquecimento global no meu colo que eu não tenho NADA a ver com isso.

No tag for this post.

10 thoughts on “Lógico… a culpa tinha que ser do gordinho

  1. Flá=D

    Não disfarça, não! A culpa é toda sua! Do Tsunami à guerra no Iraque, é tudo culpa dos gordinhos! hauhauha

  2. Deborah Leão

    Eu acho que você devia entrar na onda da Flá, e começar a trocar os produtos “gordos” pelos produtos light no supermercado. Afinal, aí no Canadá não é tudo o mesmo preço?

    Ah, sim, e já foi um progresso sensível as palavras de confirmação pararem de ser apenas “lunch”, “dinner” e “feast”. Eu hoje ganhei “space”, o que é bem menos calórico!

  3. Silvio Gissi

    Para combinar com o post, a palavra do dia foi “coxinha”!!

    Pô Eri, como você pôde fazer isso com as criancinhas na África??!! Aliás, ser gordinho não tem nada a ver, o Chico certamente tem mais culpa no cartório do que você e é magrinho…

    Abraço!

  4. Vera Maria

    Filho a culpa sempre tem de ser de alguem, como nunca é de quem tem o poder nas mãos vai sobra pro resto, e nesse caso é dos gordinhos, então cuidado já já vai haver quantidade de comida que um gordinho pode comprar.

    BJ

    Mãe

  5. E. Coelho

    Há muitas ONGs que mantém uma quantidade enormes de pessoas, empregados e “voluntários” simplesmente falando besteiras para justificar a sua existência e continuar o recebimento de polpudos donativos.

    Aqui no Brasil há mais de 300 mil ONGs, sendo que, 150 mil somente na região amazônica! Além disso, as ONGs que atuam no Brasil recebem muito dinheiro do Governo Federal, o que é motivo de uma CPI no Congresso. Se ONG quer dizer Organização NÃO Governamental como podem aceitar dinheiro do governo? Isso no mínimo é safadeza!!!!!

    Então, sobre a inutilidade de 99% das ONGs (99% é meu cálculo pessoal), elas sempre buscam assuntos para ficar em evidência, demonstrar que o trabalhos deles é indispensável e tendo como pano de fundo jogar as pessoas umas contra as outras, com prioridade de difundir o “politicamente correto” das esquerdas.

    Jogam os negros contra os brancos, os pobres contra os ricos, os homossexuais contra os heterossexuais, mulheres contra homens, empregados contra patrões, e principalmente o mundo (pobre) que são os magros do Oriente e da África contra os americanos (que são os gordos, os consumidores de combustível, os poluidores).

    Eri, essa nova onda contra os gordos tem endereço certo: o povo americano.

    Só que eles esqueceram de dizer que os gordos americanos são os maiores doadores de alimentos para os países pobres, e faz muito tempo isso, inclusive para alguns países árabes que odeiam os americanos.

    Então, temos de um lado as ONGs que sempre procuram tirar partido de tudo para apontar o dedo contra os supostos culpados de tudo de mal que ocorre no mundo “os americanos”, eles são gordos, poluidores, imperialistas, etc. E de outro lado, uma enorme parcela da população mundial que acredita nessas besteiras.

  6. Chico

    uhauhauha, mto bom o post.
    Palavra do dia = Pizza

    Ei Silvio, que história é essa, você não viu o começo do post, a culpa é sempre do gordinho 🙂

    Viu Eri, não importa o quando eu coma a mais que você, a culpa da crise alimentar é toda sua 😛

    abraços

    Chico

  7. Nane

    Bom, só queria dizer ao meu pai que o estudo é de pesquisadores britânicos da London School of Hygiene and Tropical Medicine. Essa é uma das notícias para falar mal da “ciência” e não das ONGs…

    P.S: a minha palavra é esfiha e agora eu fiquei com vontade mas não vou comer para não engordar e poluir mais… hehehe…

  8. Julio Mauro

    tanto é culpa dos gordinhos que até a “Anti-spam word” foi relacionado a isso:

    http://img129.imageshack.us/img129/4455/imagemhv1.jpg

    Mas relaxa Eri, os fofinhos sempre serão mais lembrados do que aquele magrelo. Sempre são pontos de refeência ou algo do tipo 😀 (“Fica perto daquele gordinho ali”)

    E olha pelo lado bom, você esta contribuindo para não gastar mais petróleo, não come mais pão de queijo.. hummmmmmm tá bom esse aqui que estou comendo 😀

  9. Gui

    Realmente, a conclusão é meio estranha. Esse papo todo me lembra do livro Freakonomics. Pra quem não conhece, vou colar aqui o comentário da wikipédia brasileira a um trecho do livro:

    “O quarto capítulo … defende a tese de que o aborto legalizado seria o grande responsável pela diminuição da criminalidade em Nova Iorque, e não fatores como a existência de uma economia mais forte, o aumento do número de policiais, a implementação de estratégias policiais inovadoras ou as mudanças no mercado de drogas. Os autores argumentam que filhos indesejados teriam maior probabilidade de se tornarem criminosos, pelas condições precárias de vida a que estariam sujeitos durante sua criação”.

    Antes que alguém diga que essa tese é absurda, por favor leia o livro inteiro ou pelo menos o capítulo. Eu não estou dizendo que concordo, mas se trata de uma argumentação completa, e não apenas uma opinião. Vale a pena ler.

  10. Pingback: Another Geek Blog » Deu, né?

Comments are closed.