Eu sabia Unix

By | November 17, 2014

Eu não tenho certeza do ano, mas acho que era por volta de 1994 quando comprei um livro chamado “Aprenda Unix em 24 horas”. Era um enorme tijolo e imagino que o título significava 24 horas seguidas lendo – no mínimo.

No escritório do meu pai tinha um 386 rodando SCO Unix que nunca foi usado e estava numa sala que ninguém ocupava, então comecei a fuçar de vez em quando mas na época não o progresso foi lento. Monitor CRT monocromático, teclado ruim, sala gelada… que seja.

Não muito depois comecei a frequentar BBS e achei diversos fanzines falando de Unix e novamente fucei e tentei aprender tudo que eu pude. Novamente, eram comandos, conceitos e explicações sobre “Unix”.

unixE já nessa época comecei meu colegial técnico em “processamento de dados” e lá comecei a ouvir de Linux. Red Hat, Conectiva. Finalmente instalei um Linux num 486 e as coisas foram muito mais produtivas do que aquele SCO antigão.

Comecei a me envolver em fóruns de discussão, conhecer mais gente que estava nessa onda de Linux e me matriculei em um curso oficial da Conectiva em São Paulo. Isso acelerou um bocado as coisas e comecei a aprender com mais facilidade e rapidez e montei um mini laboratório.

Vale ressaltar aqui o apoio que meu pai me deu paitrocinando meu acesso à Internet (que custava caro na época) e também mais pra frente um desktop que eu usava exclusivamente pros meus testes. Era um Pentium 300Mhz, 64 de RAM, uns 10GB de HD (talvez) e o bichinho experimentou de tudo. Literalmente.

Envolvido na comunidade baixei ou ganhei CDs das mais diversas distribuições: Caldera, Turbo, Slackware, Mandrake, SuSE, Debian e muitas outras que muita gente nunca ouviu falar. Além de sabores de Linux também instalei e brinquei com FreeBSD, OpenBSD, NetBSD, QNX, Tropix (procura ai) e outros.

Exceto por device drivers, sistema de gerenciamento de pacotes e algumas interfaces de administração exclusivas, todos tinha a mesma interface e comandos em comum.

Eu instalava uma coisa nova e depois de passar pelo login inicial era sempre assim:

unix-jurassic-parkUnix é Unix né?

Fiz curso de Solaris na Sun Microsystems e na faculdade tinha aula de AIX e cada um desses expandia meu conhecimento em UNIX. Sutis diferenças, mas os conceitos eram praticamente “copiar/colar” entre diferentes sabores.

Sei lá… eu era feliz assim.

Mas tudo que é bom acaba, já dizia o velho ditado. Minha primeira frustração com foi o Mac OS X. Apesar do kernel Unix baseado no Darwin várias diferenças – nem um pouco sutis – foram introduzidas, fazendo o OS X apenas diferente o suficiente para ser irritante. Isso, porém, não me afetou muito já que o único Mac da casa é da esposa e eu raramente preciso usar algo diferente do browser.

O que realmente me irritou foi o Solaris 11. Eu quero culpar a Oracle, mas não sei se isso não vinha antes deles. De uma forma ou de outra várias ferramentas de administração mudaram, comandos novos surgiram, uma camada de complexidade inútil adicionada. ipadm? Sério?

Quando precisei configurar um novo servidor rodando Solaris 11 me senti um novato, gastando horas em man pages e no Google. E assim que terminei o conhecimento se foi, por falta de prática. Se eu precisar mexer num Solaris 11 de novo vou gastar praticamente o mesmo tempo em documentação. Lamentável.

Meus conhecimentos agora então é definido como |UNIX=UNIX – Solaris – OS X|

Mas no meu mundinho de CentOS, Debian e Ubuntu eu não percebi o pior se aproximando: SystemD.

Entre sexta-feira e hoje eu descobri que eu não conheço mais Linux. Tenho um console de CentOS 7 aberto e trocentas abas do browser em Wikis, man pages de tutorias. Para fazer o que? Configurar rede e firewall. nmcli, firewall-cmd? Sério? Precisar aprender tudo de novo não é o pior. O pior é que o que eu aprender só vai servir pra Linux.

O gap entre Linux e outros Unixes vai aumentar exponencialmente à partir de agora e já prevejo o dia que vou ter que remover “Unix” do meu currículo. Um sistema e conceito com mais de 30 anos de existência em breve vai evaporar. Eu reclamaria mais, mas quem se importa?

Alguém deve estar se revolvendo na tumba.

dennis-ritchie-rip

No tag for this post.

One thought on “Eu sabia Unix

  1. Julio Mauro

    me senti exatamente como voce com o centOS 7. Nem ifconfig o treco tem…
    sinceramente nao sei se a RH vai continuar com isso ou se vai voltar as ferramentas antigas. Vejo muita gente reclamando da mudança, mas muita gente achando boa.

    Eu sinceramente ainda nao tenho opiniao formada sobre o assunto.

Comments are closed.