Linus vs Stallman

By | February 10, 2008

Todas as citações aqui foram tiradas dos artigos da wikiquote sobre Richard Stallman e Linus Torvalds.

Porquê eu prefiro o Linus do que o Stallman

babygnutux-small.png

Sobre seus sistemas

Stallman: “Once GNU is written, everyone will be able to obtain good system software free, just like air.”

Linus: “I’m doing a (free) operating system (just a hobby, won’t be big and professional like gnu) for 386(486) AT clones.”

Comentário:

– Linux é um dos maiores players do mercado em termos de servidor. Está indo bem (apesar da distância do líder) também nos desktops.

– GNU/Hurd quem?

Sobre o reconhecimento público de suas obras:

Stallman: “Giving the Linus Torvalds Award to the Free Software Foundation is a bit like giving the Han Solo Award to the Rebel Alliance”

Linus: “I’m basically a very lazy person who likes to get credit for things other people actually do.”

Comentário: HAHUAhuahuahuHUAHUHUA

Sobre software proprietário junto com software livre:

Stallman: “We need to teach people to refuse to install non-free plug-ins; we need to teach people to care more about their long-term interest of freedom than their immediate desire to view a particular site.”

Linus: “Anybody who tells me I can’t use a program because it’s not open source, go suck on rms. I’m not interested. 99% of that I run tends to be open source, but that’s _my_ choice, dammit.”

Sobre editores de texto:

Stallman: “You can use any editor you want, but remember that vi vi vi is the text editor of the beast.”

Linus: “An infinite number of monkeys typing into GNU emacs would never make a good program”.

Comentário:

vi-gang-sign.jpg

Sobre suas metodologias de trabalho:

Stallman: “If you want to accomplish something in the world, idealism is not enough–you need to choose a method that works to achieve the goal. In other words, you need to be pragmatic.”

Linus: “See, you not only have to be a good coder to create a system like Linux, you have to be a sneaky bastard too ;-)”

Sobre conquistar o mundo:

Stallman: “Today many people are switching to free software for purely practical reasons. That is good, as far as it goes, but that isn’t all we need to do! Attracting users to free software is not the whole job, just the first step.”

Linus: “Really, I’m not out to destroy Microsoft. That will just be a completely unintentional side effect.”

Comentário: Como diria o Chaves, foi sem-querer-querendo.

Sobre o objetivo de suas viagens:

Stallman: “If in my lifetime the problem of non-free software is solved, I could perhaps relax and write software again. But I might instead try to help deal with the world’s larger problems. Standing up to an evil system is exhilarating, and now I have a taste for it.”

Linus: “If you want to travel around the world and be invited to speak at a lot of different places, just write a Unix operating system.”

Comentário: Isso explica porquê o Stallman vai pro Brasil enquanto o Linus vai pra Austrália. 😉

Sobre suas motivações em relação ao Software Livre:

Stallman: “I could have made money this way, and perhaps amused myself writing code. But I knew that at the end of my career, I would look back on years of building walls to divide people, and feel I had spent my life making the world a worse place.”

Linus: “Software is like sex; it’s better when it’s free.”

Comentários: Como se chama a Sra. Stallman mesmo? Ah, sim… Não existe uma senhora Stallman.

Related posts

6 thoughts on “Linus vs Stallman

  1. Julio Mauro

    Eu resumiria isso em 2 frases.

    – O Stallman é um nerd otário que pensa que a licença que ele escreveu deve ser seguida como a bíblia dos novos tempos.

    – O Linus, bem, o Linus é o Linus 😀

  2. Chico

    Vi é quase uma religião.

    Isso me lembra um Conisli que um amigo ganhou um mp3 player, subiu no palco e gritou VI.

    Depois o Maddog subiu e falou que tb usa Vi.

    abraços

    Chico

  3. Julio Mauro

    [Comment ID #2588 Will Be Quoted Here]

    Eu mesmo uso o VI até no GameOS(XP). E tenho 2 camisetas do VI 😀 😀

  4. Lucas Timm

    Fantástico.

    Escrevo muito sobre isso, o quanto o Stallman é um cara antiquado e o Linus é um cara inteligente. Pra mim, softwares são softwares e não precisam de ideologia. Adoro a frase “Anybody who tells me I can’t use a program because it’s not open source…” e ela faz muito sentido. Gosto da OpenSource como modelo de desenvolvimento, não como religião.

    Onde trabalho, assisti uma palestra muito interessante do John “Maddog” Hall falando da OpenSource dessa maneira, e acredito que todos deveriam ser assim Liberdade é o meu ovo. Enquanto o Maddog dirige a Linux Foundation, o Stallman viaja o mundo sem tomar banho criticando o trabalho dos outros (a última potoca foi contra o OpenBSD, quem lembra?), e provando aquele bom e velho ditado: Cachorro que late não morde.

    Abraços,
    Lucas Timm.

  5. Israel Miranda

    Poxa, todo mundo devastando o Stallman rs….

    Bem galera, entendo o ponto de vista de todos, e concordo que o Stallman é radical de mais as vezes. Mas eu compreendo ele. Ele visa um bem maior, a cultura do software livre. Para Stallman Software Livre multiplica o conhecimento, por isso devemos usa-lo, e ele quer que o maior número de pessoas possíveis entendam isso. Apesar de ele dizer ser pragmático, concordo que ele não é tanto quanto deveria. Se ainda não tem um flash player decente open-source, é ÓBVIO que eu vou usar um non-free, até porque não me interesso em fuçar no fonte desse software, se interessasse eu buscaria 100% free para poder difundir o meu trabalho e somar ao de outras pessoas.

    Mas é isso, o Linus é um cara que ganhou praticamente todo o crédito pelo sucesso do software livre pois para pessoas que não participam da comunidade, e não conhecem, software livre se resume a linux. E isso realmente é de deixar qualquer um puto. Principalmente o Stallman que dirige a GNU, que tem seus utilitários distribuídos em praticamente todo Linux e Unix que eu já vi, e se você perguntar a um leigo quem é Richard Stallman eles vão dizer, Richard quem?

    A “Cagada” do Linus é que ele desenvolveu o kernel Linux antes do kernel Hurd ficar pronto, e para evitar retrabalho, reinvenção da roda e até para acelerar a adoção do software livre, até a GNU ajudou o desenvolvimento do kernel linux bastante na época.

    Só acho injusto a galera ficar malhando o Stallman assim como se ele fosse um “concorrente” do Linus. Não são concorrentes, eles trabalham com coisas diferentes. O Foco da GNU, que é muito maior do que o do linux, é prover uma suíte decente e profissional de softwares para ser usado em qualquer sistema operacional, isso é fantástico. Já o Linux é um kernel, de um sistema operacional, e o objetivo do Linus é fazer o kernel linux cada vez melhor, suportando cada vez mais hardware e cada vez mais usado. E ele vem se saindo muito bem obrigado.

    Portanto, vamos agradecer aos 2 por fazerem sua parte na comunidade de código aberto, por permitirem a criação de tantas distribuições de linux(Linus) e por ter uma suíte de utilitários tão potente e difundida(GNU e Stallman): GNU utils, GNOME, evolution, GNUCap, GNUCash, Gimp, Gnumeric, GNUSound, GNUStep e outras centenas de sotware que milhões de pessoas usam e que está presente em quase todas as distribuições linux e versões de Unix e BSD que eu já vi.

  6. CJr

    É, tá certo… que o Linus é anos-luz mais cool que o Stallman é fora de discussão, até quem não é da área sabe. O cara, afinal de contas, é casado com a hexacampeã finlandesa de caratê e tem capacidade técnica “hors concours”.

    O que eu acho muito interessante é a postura dele: estou aqui, sou isso mesmo, fiz um SO do c…, agradeço quando me elogiam e vivo minha vida na boa. Über cool! Fantástico! Quase perfeito!

    Pára por aí.

    Falar do Linus/x é muito bom, até porque é uma história das mais interessantes. Falar do Stallman é muito mais difícil. O que dizer de um cara que, sem querer ser piegas e já sendo, sacrificou as mãos (ele tem DORT em último grau) para fazer software livre? Dizer que o cara é “antigo”? Caramba, meu, então não lê mangá nem vê anime, muito menos os 300 de Esparta. Porque nessas mídias o que vc vai achar é sacrifício, entrega, idealismo, firmeza de opinião e o velho e bom “radicalismo” (aqui na Terra Brasilis, é radical quem “faz marola”, quem “não deixa a vida rolar”).

    Cara, conselho para você: tenha sua opinião e faça sua vida, mas respeite quem tem uma história de vida do porte da do Stallman, e não se fie em “coolness” pra julgar os outros. A Gisele Bündchen é a modelo mais cool do mundo, mas uma entrevista com ela dá nos nervos de tanta abobrinha.

    Como diria seu pai pra você quando criança, “respeite os mais velhos” e se toque que ele não queria dizer “mais velhos” — queria dizer melhores.

    Abraço indignado,

    CJr.

Comments are closed.