Passando mal

By | September 16, 2007

Como um bom Geek, estou passando muito mal por aqui no Canadá.

Ser geek no Brasil é difícil, pois os lançamentos eletrônicos demoram uma eternidade para chegar por lá e quando chegam custam uma pequena fortuna (ou uma grande, no meu caso).

Eu, por exemplo, ainda estou sonhando com meu primeiro dual-core, que nunca tive a chance ($$) de comprar no Brasil quando vejo nas lojas máquinas quad-core a venda.

Na minha lista de futuras aquisições (aka depois de arrumar um emprego) estão:

  • GPS
  • Desktop
  • Um gadget a ser definido

GPS -> Sou provavelmente o cara mais perdido do mundo. Além de ser uma comprovação científica da lei de Murphy. Se uma rua bifurca e eu tenho que escolher um lado para ir, vou errar 100% das vezes.  Se estou usando uma sequencia de placas para me guiar por um caminho, com certeza a última vai estar encoberta por uma árvore, ou vai ter um caminhão na minha frente obstruindo minha visão antes de uma bifurcação. E acabei de falar o que acontece quando tenho que ecolher uma bifurcação…

Um aparelinho anti-otário que vai me falar “direita na próxima rua”, “continue reto”, “suba a ponte” é um sonho de consumo. Preciso pesquisar bem os modelos, pois quero um que recalcule a rota caso eu erre o percurso. Afinal, eu me conheço e sei que vou errar alguma coisa.

Desktop -> Notebook é sensacional. Ter a mobilidade de mudar de um país para outro carregando sua vida na mala não tem preço. Apesar do meu note ser uma sucata perto dos que vejo nas lojas por aqui, ele dá pro gasto e tem todas as funcionalidades que eu poderia desejar. Por enquanto dá.

Mas convenhamos que não dá pra ficar “brincando” num note. Instalar e desinstalar coisas, botar máquina virtual pra rodar, enfiar mais uma placa de rede, emular rm outers, armazenar uma grande quantidade de lixo dados. Isso não é tarefa para um notebook. Um note tem que estar sempre 100%. Sempre funcionando. Sempre disponível. Ainda mais levando-se em consideração que compartilho a máquina com a esposa. Vocês não imaginam a bronca que tomei uma vez porquê mudei o sistema operacional e esqueci de salvar os bookmarks!!! Aliás, quem salva bookmarks na máquina hoje em dia, com o Google Bookmarks e o Delicious?

Ainda não sei qual máquina vou comprar, mas estou em uma séria dúvida entre um iMac, um System76 ou uma máquina de prateleira como HP, Acer ou Sony.

Um iMac seria sensacional, pois além de ser uma máquina top de linha, ainda atenderia a demanda da esposa por algo compatível com o novo iPod. Mas existe a questão da virtualização, que eu faço questão de existir. Alguém ai tem experiência com o Parallels para me dizer se presta?

Um System76, por outro lado me daria uma máquina bacana, já com Ubuntu nativo. É legal suportar a iniciativa de empresas assim. Mas a máquina vai vir do Colorado até a Nova Scotia. E se chegar bichada? Suporte só nos USA? Fico meio encucado.

Sobram as máquinas  de prateleira. São muitas opções, mas todas elas vem com Windows Vista como default. Nada que um fdisk não resolva fácil, mas não gosto de engrossar as estatísticas da pequena mole.

Ainda vou decidir. Tenho bastante tempo para isso. Muito tempo…

Gadget -> Esse vai ser difícil. Tem o N800 da Nokia,  tem o OpenMoko, o iPhone, etc, etc… prefiro nem pensar nisso agora.

No tag for this post.

3 thoughts on “Passando mal

  1. Flá=D

    Ah, hum, quanto ao desktop, se tiver votação aqui em casa, meu voto e o do Pingo é para o iMac. 😀 O Pingo está tão ansioso….

    Bjs

  2. Silvio Fonseca

    GPS: Você? Perdido?? Jura???? 😛 Vc literalmente se perde com um mapa! Só não vou te zuar muito porque sou perdido por natureza também…

    Desktop: Recomendo o iMac como desktop, 20″ (24″ é muito ignorancia, vai ter q virar a cabeça pra conseguir ler a tela toda!) widescreen com proc topo de linha, o bichinho é muito bonito (viu os novos com aluminio e mais fino?? show!) e claro, Mac OS. Por outro lado, montar um comp aí é muito barato e com menos grana dá pra montar O comp (Intel C2D + chipset P35).

    Gadgets: N800 é legal mas é meio carinho e não tem telefone junto. O OpenMoko vai levar um bom tempo até chegar a versão produção dele, mas é massa, GPS, GPRS e o kitchen sink.

Comments are closed.