Viajando leve

By | January 28, 2017

Eu não viajo muito, mas quando viajo eu tento ser o mais frugal possível com a minha bagagem.

No ano passado fiz viagens entre 3 dias e 2 semanas e em todas elas levei apenas bagagem de mão. Tanto nas que fiz a trabalho (a mais longa 2 semanas) como a lazer (a mais longa 10 dias) não precisei mais do que uma mochila e uma mala de mão.
Aliás a mala de mão só precisei pros 14 dias visto o equipamento de trabalho que precisei levar (incluindo sapatos especiais de proteção. não posso postar sobre isso… uma pena. ehhehe)

Mesmo com pouca bagagem deu para incluir até roupas pra fazer exercício, uma boa quantidade de comida – visto que eu me recuso a pagar o preço de comida de aeroporto – e até entretenimento.

Roupas

O primeiro passo é a qualidade e o tipo de roupas. O ideal são tecidos sintéticos, algodão atlético (estou chutando o nome em português) ou lã merino. Cuidado com os sintéticos. Existem os bons que tem controle de odor e bactérias e tem os que vão ficar fedendo depois de 15 minutos de uso. Infelizmente esses tecidos bons são mais caros, mas valem a pena.

  • Para as roupas de baixo eu recomendo Ex Officio. Dois pares de cueca para uma viagem é tudo que você precisa. Lave no chuveiro, torça dentro de uma toalha e pendure. Seca em 2 horas.
  • Camisetas eu recomendo lã merino de marcas como Smartwool ou Icebreaker. Dá pra usar merino por dias a fio sem precisar lavar. A lã é naturalmente anti-bactéria e anti-odor. E sim, pode ser usada no verão brasileiro. As camisetas são mais finas do que algodão.
  • Calças jeans podem ser usadas todo dia por uma semana ou mais sem lavar, então a que você vai usando no corpo é o suficiente. Costumo levar na mala uma daquelas calças que vira bermuda também
  • Meias ainda quero comprar de merino onde dois pares vão ser suficientes para vários dias. Por enquanto ando usando meias esportivas curtas que são leves, pequenas e secam rápido.

Pense em praticidade. Todos esses tecidos além de poderem ser usados várias vezes sem lavar ainda podem ser facilmente lavados no chuveiro ou na pia do banheiro e pendurados para secar no box ou no armário do hotel e vão estar secos em algumas horas. Nenhum desses tecidos amassam e por isso não precisam ser passados.
Aliás, pendure para secar num cabide mesmo e já era. Colocar uma camiseta de merino em cima do ar-condicionado do hotel assim que você chega à noite garante que vai estar fresca de novo em alguns minutos, pronta pra uma saída para o jantar depois de um banho.

Como você embala as roupas também faz muita diferença no espaço que elas ocupam. Para viagens mais curtas eu simplesmente enrolo as roupas.
Não sou nem de perto caprichoso igual o cara do vídeo, mas faço algo bem parecido:

O espaço que isso economiza é absurdo.

Para viagens mais longas saco de compressão é a melhor opção. Compre os que são feitos para viagens, que não exigem aspirador de pó. Eles economizam muito espaço mesmo, mas são desnecessários se você consegue guardar tudo que precisa sem eles.

Calçados

Nesse ponto eu acho vantagem ser homem, já que um par de tênis é mais que o suficiente. Minha escolha no momento é um Nike Metcon 2 igual esse:

É um modelo que foi criado para CrossFit – então obviamente serve para exercícios, mas é discreto o suficiente que dá pra usar para trabalhar e confortável o suficiente para usar por horas e horas (como num vôo longo, por exemplo).
Vale destacar que eu não tenho muita frescura e ando descalço a maior parte do tempo. Nada de chinelo pra mim.

Produtos de higiene e saúde

Saio na vantagem por ter barba. Em viagens curtas – de até umas 2 semanas como andei fazendo – nem me preocupo com isso. Mas imagino que levar um barbeador descartável não ocupa muito espaço. Esqueça a espuma de barbear, loção pós-barba e outras frescuras. Faça a barba imediatamente após o banho e use sabonete para fazer a espuma.
Se você vai ficar em um hotel tudo que precisa trazer é uma escova e pasta de dentes. Gaste um troco a mais e compre uma escova própria para viagem. Nada mais nojento que uma escova normal largada no meio das coisas ou enrolada num papel…

Se você é igual a esposa, que usa shampoo e condicionador especial, não precisa levar o frasco inteiro. Garanto que numa viagem curta você não precisa de meio litro de shampoo. Use frascos para viagem tipo esses:

E não sei aí no Brasil, mas por aqui também vende-se desodorante, shampoos, sabonete líquido e outros artigos em versão “para viagem” que são bem pequenos e portáteis.

Da mesma forma, se você toma alguma medicação, suplementos ou qualquer outro tipo de pílulas, não leve todas as embalagens de todas as coisas. Use um porta-compridos tipo esse apenas com as doses para o número de dias necessários:

E já vou aproveitar o gancho aqui e recomendar Melatonina nessa sua caixinha de comprimidos. Principalmente se você vai viajar para algum lugar com fuso-horário diferente. Se você não sabe o que é Melatonina, pergunta pro Google. Algum remédio para dor-de-cabeça e anti-inflamatório também é sempre uma boa.

Se você estiver viajando para o Canadá ou EUA lembre-se de que líquidos e géis podem ser no máximo na quantia de 100ml por container e devem – todos juntos – estar num saco plástico transparente. Recomendo um zip-lock para isso.

Comida

Comida de aeroporto chega a ser ofensivo. Primeiro que é extremamente caro. Pagar caro em comida boa é aceitável, mas pagar caro numa comida ruim, simplesmente por falta de opção, é burrice. Além disso eu raramente conseguiria achar algo compatível com a minha dieta quando em trânsito.
E ainda tem mais uma: Os vôos aqui dentro dos EUA não servem mais comida de graça. Servem água, café e refrigerante. Todo o resto é pago amigão. E bem pago.

Eu uso um saquinho ziplock pequeno para colocar castanhas diversas. Também carrego barrinhas de proteína, beef jerk e chocolate meio amargo. Se você estiver fazendo uma viagem internacional fique atento pois talvez não possa entrar no destino com comida. A dica é: coma tudo no caminho. (-_-)

Água é outra coisa que custa os olhos da cara nos aeroportos, mas sempre tem bebedouro disponível. Pra isso eu tenho uma garrafa dobrável com uma carabineira. Depois que passo pela segurança eu procuro um bebedouro, encho a garrafa e penduro na mochila:

Entretenimento

Não sei aí no Brasil, mas por aqui os vôos domésticos não tem mais nada de graça. Nem entretenimento. Se quiser assistir alguma coisa tem que passar o cartão de crédito para liberar vídeos e músicas. A solução é simples e óbvia: Carregue o seu celular ou tablet com filmes, músicas, podcasts e livros.

Apesar de ser óbvio, é algo para o qual você precisa se planejar de antemão. Faça sua seleção e downloads ainda em casa.
Não esqueça também de considerar quanto tempo em trânsito você vai ficar e se a sua bateria vai durar o suficiente. Eu tenho um power-pack da duracell que posso usar pra recarregar meu tablet ou celular, mas durante a viagem eu conecto nas tomadas em todas as oportunidades possíveis. Diversos aeroportos por aqui tem estação de carregamento, o que é bem conveniente.

Outras coisas

Uma caneta, uma mini-lanterna maglite, umas 3 carabineiras, alguns saquinhos de mercado vazios (e bem dobrados) e uma DoohicKey são os outros acessórios que carrego. Todos passam pela segurança.

Isso sem contar cabos USB, adaptadores de tomada e fones de ouvido. Dê preferência para fones de ouvido normais, de inserir dentro dos ouvidos e não bluetooth. Além das óbvias vantagens de tamanho e não precisar de bateria, algumas companhias aéreas não permitem uso de bluetooth ou de fones grandes durante pouso e decolagem.

Aliás, uma dica para enrolar o fone de ouvido sem fazer bagunça:

Organização

Eu uso saquinhos ziplock de diversos tamanhos para organizar as coisas dentro da mochila. Todos os cabos, adaptadores e o power-pack vão num saquinho. Comidas vão em outro. Documentos, passagens e etc em outro e assim por diante. Recentemente a esposa também veio com a idéia do “saquinho da cabine”. Pouco antes de embarcar eu já separo as coisas que pretendo usar durante o vôo (meu kindle, fone de ouvido, caneta e uma barrinha de proteína, por exemplo) e já coloco num saquinho à parte que levo na mão. Assim que entro no avião já posso colocar a mochila embaixo do banco e colocar meu saquinho da cabine no bolso do banco em frente de mim. Tudo imediatamente disponível sem precisar ficar fazendo malabarismos.

Mochila

Finalmente isso tudo precisa ser carregado. Eu tenho duas mochilas que uso dependendo da situação, sendo uma maior e uma menor.

A menor é uma Coleman Elate 38L (que infelizmente é antiga e não está mais disponível):

Acho grande o suficiente para passar uma semana e tem um bolso para laptop de até 15”.  As diversas sessões e bolsos é o que eu mais gosto nessa mochila, que facilita muito a organização. É confortável de usar e mesmo quando cheia cabe fácil embaixo do banco no avião.

A maior é de um fabricante americano de equipamentos militares. Nada muito chique, mas disponível na Amazon por um preço bem camarada (25 mangos na publicação desse post).

Essa mochila é grande o suficiente para duas semanas quando totalmente expandida, mas infelizmente não cabe embaixo do banco. Precisa ir no compartimento de cima no avião. A outra desvantagem é que não tem um bolso para laptop então se você precisa levar um essa não é a mochila para a viagem.
Aliás, falando nisso, em viagens pessoais eu só ando levando celular e meu kindle fire. Laptop agora só para viagens à trabalho. 
Mas de qualquer forma cabe muita coisa nessa mochila e tem uma variedade de bolsos e sessões também que facilitam a organização.

Outras dicas

  • Planeje-se para facilitar sua vida: saiba onde as coisas estão, organize-se, tenha à mão documentos que serão pedidos por oficiais de imigração, segurança ou alfândega
  • Na maioria dos seus destinos, você pode comprar itens menores em mercados e farmácias ao invés de se preocupar em levar com você. Separe um pequeno orçamento para isso
    • Amazon Prime (para nós que moramos aqui no Norte) entrega em 1 ou 2 dias em vários destinos. Coisas podem ser encomendadas para o hotel
  • Da mesma forma para destinos internacionais você pode comprar um SIM Card para seu celular assim que chegar e ter acesso a internet
    • Mas seja prevenido e faça download da região que você vai visitar no Google Maps antes da viagem
    • Baixe o Google translate e a versão offline do idioma do país que está indo visitar
    • Descubra onde é a embaixada mais próxima e o telefone de emergência e já deixe nos seus contatos no celular
  • Ajeite-se um dia ou dois antes da viagem:
    • Corte as unhas e os cabelos já que cortadores de unha e tesouras não passam pela segurança na bagagem de mão
    • Faça check-in online
    • Tenha (e confira) sua lista de coisas a serem levadas

 

Com todas essas dicas você vai conseguir viajar apenas com mala de mão. Isso significa que você pode fazer check-in online e evitar as filas, podendo dar um pouco mais de flexibilidade para o horário de chegar no aeroporto.

Você também não vai ter sua bagagem extraviada e nem vai perder conexões nos casos onde precisa pegar suas malas num lugar e fazer check-in delas novamente em outro entre seus vôos.

Passar pela alfândega normalmente é uma moleza quando eles olham e vêem que você só tem uma mochila nas costas. E mesmo que resolvam mandar você abrir tudo é só uma mochila – bem organizada – que em poucos minutos você pode esvaziar e encher novamente.

Nas nossas recentes viagens, uma vez passado pela imigração e alfândega, estamos já no carro em questão de minutos. Eu recomendo muito se desprender de despachar bagagem e viajar só com carry-on.

Se você tem mais alguma idéia, truque, hack ou produto para sugerir deixe um comentário ai embaixo!

No tag for this post.

2 thoughts on “Viajando leve

  1. E. Coelho

    Filho querido, este artigo vem a calhar, porque muitas empresas aéreas estão restringindo o transporte “gratuito” de malas, ademais cobrando muito caro para faze-lo.
    Brevemente no Brasil, isto já aprovado, será permitido “gratuitamente” transportar apenas bagagem de mão com até 10 quilos, eventuais malas de até 23 quilos serão cobradas.
    Viajar leve também oferece a facilidade de não precisar despachar e consequentemente aguardar as malas nas esteiras, dessa forma a viagem torna-se mais rápida e evita perder conexões.
    Parabéns pelo útil e exemplificativo artigo.
    Beijos,
    Pai

  2. vera

    Filho, vou tentar por em prática, pois levo sempre tanta coisa
    que não uso e depois dá um trabalho para passar tudo e guardar
    Obrigada pelas dicas

    bjs

    Mâe

Comments are closed.