mv ~ /usa/colorado/

By | October 27, 2015

E cá estou eu, ainda adaptando ao novo fuso-horário. Acho que já estou quase lá. Hoje acordei 4:45, quando meu horário normal era 5:00 em Halifax. Bem melhor que a primeira noite, quando acordei 2:05. Estamos em MT (Mountain Time) agora. Na melhor das hipóteses vou estar a 3 horas do Brasil e na pior a 5 horas.

Até agora a mudança está indo bem. Algumas coisas foram mais enroscadas que outras. Trazer os cachorros foi a parte mais complicada e cara e só tivemos a confirmação que tudo estava certo mesmo dois dias antes. Nesse ponto o Hurd já estava até hospedado num canil. O problema todo foi que o Hurd é um cachorro muito grande e precisa de uma caixa de transporte tamanho gigante. A única linha aérea que comporta uma caixa desse tamanho em Halifax é a Air Canada. O problema é que a Air Canada implementou recentemente uma nova política que exige que cães de certas raças viagem numa caixa de transporte chamada CR82 do padrão IATA. Essa é a mesma caixa utilizada para transportar animais selvagens como lobos, ursos pandas e chacais. Quem foi o imbecil que decidiu essa política eu não sei. E como você pode imaginar essa caixa não vende em petshop e precisa ser feita sob encomenda. O preço é o quadruplo de uma caixa de transporte normal.
Mas para piorar a Air Canada não transporta pets para Denver. Então eu ia precisar que outra empresa fizesse Toronto-Denver para mim. Isso significava ter alguém em Toronto para fazer checkout dos cães numa empresa e check-in na outra. Até achei quem fizesse isso. A única opção de linha aérea seria United Airlines para esse trecho. Mas a United Airlines não tem imbecis fazendo a política e falaram: CR82 para levar cachorro? De jeito nenhum. Precisa ser caixa de transporte de pet.
A melhor coisa que fiz foi contratar uma empresa especializada em realocação de pets. Eles deram um jeito (e eliminaram a Air Canada da equação). Ainda saiu bem caro, mas mais barato do que o plano inicial e me economizaram muita dor-de-cabeça.
Ainda não terminou. Pego os cachorros hoje à noite no aeroporto e já tive que alugar uma van da U-Hal para caber as caixas. Afinal o nosso carro alugado aqui é pequeno.

A outra parte que deu uma enroscada foi um dos carros. Meu novo empregador está pagando minha mudança, mas no pacote incluiu apenas o transporte de um carro. Eu precisei bancar o outro.
A empresa que eu achei para trazer o meu nem de perto foi tão boa quanto a patrocinada, então a papelada e as exigências foram mais chatas. O maior problema foi que para o carro poder ser trazido é necessário um documento que eu só passei a ter depois de ter cruzado a fronteira. Então a empresa patrocinada já foi buscar o carro no dia que mudamos e ia deixar ele guardado até ter o documento. Mas a empresa que eu achei se recusou a ir buscar o carro até ter os documentos em mãos…
Tudo bem, consegui que um amigo ficasse de guardião e contato para eles pegarem o carro com ele depois que eu já tivesse ido.

Fora isso tudo foi muito tranquilo até agora. A empresa de mudança mandou 4 pessoas que tiraram tudo dos armários, embrulharam e encaixotaram tudo pra gente. Ficamos literalmente navegando na Internet durante a mudança. Em 3 horas limparam a casa. Saímos de lá na sexta à noite e passamos a noite no hotel do aeroporto de Halifax. Como o vôo saia 5:30 para Toronto, mais a ansiedade já estávamos em pé 2 da matina.

Chegamos com tranquilidade em Toronto, com mais de 10 horas para nossa conexão para Denver. Eu escolhi esse tempo todo porquê a imigração é feita em Toronto. Existe um acordo entre Canadá e EUA onde alguns aeroportos já tem Homeland Security no lado canadense, facilitando o trânsito porquê permite que os voos cheguem no desembarque doméstico no destino americano.
De qualquer forma eu estava esperando tomar uma bela canseira, ter que responder milhares de perguntas e apresentar centenas de documentos. Levamos uma resma de documentos com tudo que você pode imaginar, desde o visto de trabalho, carta da empresa, certificado de casamento (original e tradução), contrato de aluguel da casa…. Eu estava preocupado que podia ser complicado.
Mas no final foi bem simples e pegamos uma agente do DHS super gentil. Ela processou a nossa entrada, deu dicas e respondeu minhas perguntas em menos de 10 minutos. Já deu entrada no sistema também para emitir aquele documento que eu precisava para os carros e antes da hora do almoço ele já estava disponível on-line, de onde mandei para todo mundo que precisava.

O aeroporto de Toronto é sensacional, com uma área com cadeiras e mesas confortáveis, Wifi rápido (assistimos até Netflix) e bons restaurantes. Não foi horrível passar as 10 horas lá.

E o cúmulo da coincidência: Quando finalmente fomos para nosso portão de embarque eu dou de cara com um dos caras do meu time na nova empresa. Foi inclusive um dos que me entrevistou. Ele estava voltando do escritório da Suiça e fez escala no Canadá. Quais as chances?

Aterrizamos em Denver, onde eu já tinha reservado aluguel de carro (30 dias patrocinados pela empresa) e já troquei o SIM Card do meu celular por um local, que eu tinha comprado na  nossa visita aqui em Julho. LTE FTW! GPS Online e vamos embora, Waze.

Como era tarde da noite do Sábado eu já tinha deixado um hotel reservado, mas esse não seria patrocinado pela empresa, então procurei o mais barato possível. Me arrependi. Manja aqueles motéis de filme americano ou de episódio de CSI? Pois é… nesse nível. Mas tudo bem, sou paulistano e não foi a primeira vez que fiquei em hotel bocada. Era só pra dormir, literalmente.

Domingo de manhã encontramos com a moça da imobiliária na casa que já estava alugada. Embaixo da porta já estavam nos esperando nossos cartões American Express (mais sobre isso num outro post).
Tomamos posse da casa e fomos atrás da coisa mais importante: Um colchão. Isso foi uma lição aprendida de quando mudamos para o Canadá e passamos umas noites dormindo no chão: Colchão é prioridade máxima.
Achamos uma loja aqui perto que fazia entrega no mesmo dia. Problema resolvido.

Compramos um SIM Card para a esposa também (nada como ter telefone destravado) e uma passada no Wallmart para necessidades básicas.

Ontem (Segunda-Feira) resolvemos as outras duas pendências: Providenciar o Social Security Number e abrir conta no banco.

Em termos de documentação estamos feitos. A única coisa que ainda está pendente é transferir nossas carteiras de motorista, mas isso só pode ser feito depois de 30 ou 60 dias de residência aqui, então está longe.

Agora é comprar mais umas coisas para a casa e esperar a mudança chegar com o resto.

E segunda-feira que vem eu começo no trabalho novo, mas não aqui no Colorado. Vou ter uma semana inteira de orientação lá no Vale do Silício. Mal vejo a hora. \o/

No tag for this post.

6 thoughts on “mv ~ /usa/colorado/

  1. veramrb@gmail.com

    Que bom filho saber que estão bem e os
    problemas estão sendo resolvidos, agora a esperar
    para começar o novo emprego

    bjs

    Mâe

  2. Fernando Pedro

    Ah nada como o primeiro mundo. Tudo bem que não é 100% mas já 90% menos burocrático que no Brasil. Mudar entre dois países de primeiro mundo parece ser bem mais fácil do que a galera que sai daqui para aí.

    Aguardando mais posts… hehehe

  3. E. Coelho

    Em suma, deu tudo certo.
    Isso é muito bom!
    Aguardamos os próximos capítulos.

  4. Silvio Gissi

    Problemas de primeiro mundo 🙂 Que bom que vieram tranquilos, boa sorte com o resto da mudança!

  5. Mari

    Q da horaaaa!!! Caramba hein, bem q vc disse q isso ia acontecer, há 15 anos atrás… lembro direitinho d vc dizendo que ia morar aí… chegou, desejo tudo de bom! beijos, adoro seu blog…

Comments are closed.