Valorizando TI

By | December 29, 2020

Lá pelos idos dos anos 90 alguém soou o alarme sobre um potencial desastre pronto a acontecer.

O mundo já estava altamente dependente de Tecnologia da Informação, que vinha sendo implementada em bancos, governos, sistemas de saúde e todas as outras vertentes da nossa vida. E uma imensa quantidade desses sistemas tinha sido criado muitos anos atrás quando memória e espaço em disco eram muito caros.

Para economizar espaço o que se adotou nas décadas anteriores era utilizar datas com apenas dois dígitos nos anos. Ninguém parou pra pensar: “Humm… Pera aí. Daqui a 30 anos isso vai dar problema.”.

Mas vamos ser justos né? Quando foi a última vez no seu trabalho que você pensou quais seriam as consequências das suas decisões em 30 anos?

Mas estou desviando do que queria falar nesse post.

O principal ponto é que o famoso bug do ano 2000 chamou a atenção do mundo inteiro. As pessoas corretas perceberam o que implicaria não corrigir o problem, governos e empresas se mobilizaram e um exército de programadores atacou o problema.

Bilhões foram gastos, inúmeras horas utilizadas para reescrever e migrar milhões de linhas de código. Longas horas de trabalho, finais-de-semana perdidos, férias canceladas. Empresas fizeram todo tipo de simulação, exercícios de recuperação de desastre e testes e mais testes antes da virada do ano. Um imenso esforço coletivo e coordenado foi colocado em andamento.

Finalmente quando bateu o ponteiro na virada de 1999 para 2000… nada aconteceu.

É inacreditável, mas não só na época como até hoje tem gente que diz que foi tudo um exagero. Que tanto dinheiro foi gasto e que a mídia colocou tanto terror pra não acontecer nada.

Parece impossível, mas realmente tem pessoas que não conseguem pensar: “Poxa, que bom que tanta gente se sacrificou tanto. Conseguimos evitar um desastre”. Um esforço épico e mundial que resulta em uma não-desgraça foi não só amplamente ignorado mas até criticado por muitos ignorantes.

Mas se você acha que isso é ridículo, pense no seguinte: Se todo esse esforço tivesse sido feito mas na virada do ano um imenso blackout de TI tivesse acontecido as mesmas pessoas teriam novamente criticado o esforço. Iriam dizer que foi incompleto e insuficiente. Xingariam o governo e as empresas privadas… estariam com as foices na mão.

Sem dúvida esse é o exemplo mais conhecido relacionado a TI, mas todos nós vivemos uma versão miniatura disso nas nossas carreiras.

Se nós fazemos nosso trabalho corretamente a presença de TI deve ser transparente. É tipo abrir uma torneira ou acender uma luz. Você não deve ter que pensar em toda a infra-estrutura envolvida. Nossos usuários devem apenas utilizar nossos serviços.

O problema é que fazer TI direito custa caro. Sistemas redundantes, backup, segurança, equipe técnica competente, treinamentos constantes, upgrades, hardware novo, cloud… Alguém em algum momento vai olhar e dizer: “Porque estamos gastando tanto com TI? Nunca acontece nada. É um desperdício de dinheiro.”

Por outro lado não fazer TI direito custa ainda mais caro. Já pensou um sistema cair e perder todas as encomendas de clientes para o próximo mês? Ou o sistema de contabilidade corromper o banco de dados e a empresa não saber mais quem deve dinheiro? Perder a folha de pagamento? Ou o sistema de email fora do ar e nunca receber uma pergunta de um potencial novo cliente?

Eu tenho a impressão que empresas de diferentes ramos dão importância diferente para TI. Sem dúvida trabalhar numa empresa de tecnologia é onde o nosso trabalho é mais valorizado, mas outros setores também dão uma grande importância.

De vez em quando leio pessoas reclamando de como a área de TI da empresa é mal-tratada e considerada sem importância. Isso, na minha opinião, demonstra total incompetência dos gestores da empresa e falta de entendimento do mundo atual.

Nossa responsabilidade como profissionais da área é fazer o máximo para mostrar a importância do nosso trabalho para a saúde da empresa. Ao mesmo tempo devemos entender os custos e a situação da empresa como todo e fazer o melhor possível com os recursos disponíveis no momento.

Agora, se ficar claro que a empresa prefere não dar ouvidos e ignorar os bons conselhos que vem de TI a minha sugestão é que você comece a procurar outro emprego. Lembre-se do bug do ano 2000. Ninguém reconhece seu esforço herculano, mas assim que der alguma coisa errada a culpa vai ser toda sua. E essa não é uma situação onde você queira se encontrar.

No tag for this post.