Meus Cães – Parte I

By | November 17, 2007

Atenção: Este é um post estilo “querido diário”

Quando eu era pivete lá no Brasil eu sempre tive bichos. Passarinhos, gatos, coelho, codorna, peixes e até um marreco eu tive lá em casa. Adoro animais e sempre me dei bem com eles.

Mas a minha paixão sempre foram os cães. E apesar do verdadeiro zoológico que tinha lá em casa, meus pais não me deixavam ter um cão.

Quando eu tinha 3 anos meu pai estava terminando de construir a casa onde eu cresci, mas ainda morávamos em um apartamento. Nesta mesma época um amigo dele o convenceu a comprar um doberman. Apesar de não saber a história toda imagino que os argumentos tenham sido que é um ótimo cão com crianças e também um bom cão de guarda.

Como eu disse, infelizmente a casa ainda não estava pronta, minha mãe estava grávida da minha irmã e a Basca (nome da doberman) ficou na minha avó, que também adorava animais.

Mas convenhamos que criar um cachorro não é a mesma coisa que criar periquitos. Ainda mais se for um cachorro com o porte e o nível de atividade de um doberman. Pior ainda se você for uma senhora de idade com problema de coluna.

O final não poderia ser diferente de como se resolvia todos os problemas com cães antigamente. A Basca um dia, brincando imagino eu, machucou minha prima e foi imediatamente doada.

É incrível como apesar de quase não ter convivido com ela, eu sinto falta até hoje da Basca.

Não sei se foi a má experiência com a Basca, a propaganda negativa da mídia sobre cães na década de 80 ou algum outro fator que me é desconhecido que fez com que meus pais não me deixassem ter um cão.

Felizmente eu sou bem teimoso determinado e cético desde pequeno e não me conformo com cultura popular, diz-que-me-diz ou “conhecimento público”. Ainda criança eu pedia pra ir na livraria e comprava muitos livros de cães. E lia todos. A descrição das raças, seus padrões, comportamento, peso, tempo estimado de vida. Com menos de 10 anos de idade eu sabia apontar qualquer cachorro na rua e dizer a raça e suas características. E ficava irritado quando alguém chamava Pastor Alemão de “Policial” e Collie de “Lassie”.

CONTINUA AQUI.

No tag for this post.

3 thoughts on “Meus Cães – Parte I

  1. Carlos Medeiros

    Tivemos aqui em casa um doberman por um período de 10 anos. Gostava muito dele, era muito apegado aos donos. Muito mesmo. Era muito possessivo e ciumento, e um excelente cão de guarda.

  2. Nane

    Eu sei li os seus livros de cachorro e convivi com voce e, num determinado momento da minha vida, ate ja soube diferenciar as raças de cachorro mas é incrivel como nao me dou bem com os animais… Deve ser defeito de fabrica mesmo!
    Bjs,
    Nane (usando um teclado frances)

Comments are closed.