Auto-ajuda

By | March 11, 2017

Vou falar que na minha juventude eu tinha um grave preconceito contra os livros na sessão de auto-ajuda. Na minha cabeça o que marcava era a palavra ajuda. Só quem precisa de ajuda é gente fraca. Eu não sou fraco, certo? Adolescente é um ser babaca mesmo. Quanto mais velho fico mais percebo como eu sou fraco (não no sentido físico) e como eu preciso de ajuda.

Mas vamos ser justos, a palavra auto em português pra mim tem um significado muito menor do que o equivalente em inglês self. E muitos livros estão na sessão de self-improvement (auto-melhoramento) ao invés de self-help. Queria ter entendido esse conceito melhor quando ainda era jovem…

Quem acompanha meu blog a mais tempo sabe minha posição em relação a educação “formal”. Nunca terminei a faculdade e considero o sistema de ensino uma piada. Isso principalmente porque na escola não se aprende o que você realmente precisa na vida. Análise sintática e morfológica? Melhor saber detalhadamente! Educação financeira? Bobagem! Calcular a área de um triângulo retângulo é essencial para a vida adulta de qualquer profissional. Relacionamento interpessoal, em compensação, é totalmente dispensável.

Meu pai foi alguém que aprendeu muito sozinho, fazendo cursos e lendo toneladas de livros. Ele tentou me passar isso logo cedo, mas meu preconceito (veja primeiro parágrafo) me bloqueou por um bom tempo. Sendo eu um introvertido com zero habilidades de me relacionar com pessoas meu pai conseguiu me convencer a fazer um curso do Dale Carnegie quando eu tinha 18 ou 19 anos. Nesse curso eu li o meu primeiro livro de auto-ajuda: Como fazer amigos e influenciar pessoas. E foi sensacional! Foi um excelente complemento para o curso e de lá tomei gosto de pela coisa. Obrigado, pai!

Uma rápida olhada só na minha primeira página do meu Goodreads tem 7 livros que poderiam ser classificados como auto-ajuda. Nesse exato momento estou lendo um chamado “Be All You Can Be: A Challenge to Stretch Your God-Given Potential“.

O engraçado de ler esses livros é que cada vez que leio um acabo identificando uma nova área onde eu preciso melhorar. Eu raramente acabo de ler um livro com a sensação de “Agora sim, tô baum”. Sempre tem alguma coisa que eu leio que me leva a procurar a saber mais a fundo sobre um determinado assunto e de lá vão mais livros e pesquisa e eu percebo que realmente nunca vou parar de aprender e de melhorar. O tanto de deficiência que tenho – e muitas vezes nem sei – é assustador. Posso quase apostar que contigo é o mesmo.

Como disse, minha lista de livros é extensa. No Goodreads tem só uma parte do que li, mas posso dar dicas se alguém tiver um interesse específico em mente. A minha melhor recomendação de onde começar vai ser o livro recente do Tim Ferriss: Tools of Titans.

Eu sou fã do Tim Ferriss e li todos os livros dele e ouço o podcast com frequência. O que ele fez nesse livro foi um apanhado geral das entrevistas do podcast. O livro está dividido em três sessões: Healthy, Wealthy e Wise. Você pode escolher ler tudo ou ler apenas capítulos que interessam. Vários me chamaram a atenção e depois fui ouvir a versão completa do podcast relacionado ao capítulo. Comecei a seguir alguns dos entrevistados na media social, já adicionei livros na minha wish list da Amazon (#ficaadica) e implementei diversas coisas – como meditação diária.

O que eu quero dizer, no final das contas, é que todos nós temos deficiência e necessidade de melhorar. Você é responsável pelo seu próprio crescimento e desenvolvimento como pessoa, profissional, marido, pai, atleta, cristão, filho, cidadão e etc. E isso não vai acontecer assistindo TV, navegando no Facebook ou dando refresh no Twitter. Comprometa-se a melhorar você mesmo. Auto-ajude você mesmo.

No tag for this post.

2 thoughts on “Auto-ajuda

  1. E. Coelho

    Filho querido, obrigado pela referência.
    Fico satisfeito que meus conselhos foram ouvidos
    e colocados em prática.
    Parabéns pelo seu sucesso!
    Beijos,
    Pai

  2. vera

    Filho querido, como é bom saber que os ensinamentos
    que seu pai com muita sabedoria soube te conduzir a
    eles te fizeram tão bem a ponto de eu estar aprendendo
    muito com você, chorei lendo esse blog de felicidade por
    ter feito parte de criar e educar você e ver que homem
    maravilho que você se tornou, e não é se coruja não .
    Espero poder me comprometer melhor comigo nas
    áreas que tenho deficiência , obrigada por essa lição de vida

    bjs
    Mãe

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comments will be closed on April 11, 2017.